quarta-feira, 25 de março de 2015

SOBRE JOSÉ DE MESQUITA

Marta Regina da Silva Costa


O desembargador José Barnabé de Mesquita, nasceu em Cuiabá a 10 de março de 1892 e veio a falecer em 22 de junho de 1961. Filho de José Barnabé de Mesquita (Sênior), advogado e jornalista e D. Maria de Cerqueira Caldas. Sua mãe ainda muito jovem ficou viúva e veio casar-se pela segunda vez com o também viúvo, comendador Antônio Thomaz de Aquino Corrêa, pai de Francisco de Aquino Corrêa. José de Mesquita ainda na adolescência passou a conviver com Dom Aquino como irmãos, pois a partir da união do casal ambos passaram a viver no mesmo lar.
            Aos 23 anos José Barnabé de Mesquita casou-se com Anna Jacintha Pereira Leite, com quem teve cinco filhos: Guy de Mesquita, Maria Amélia de Mesquita, Maria de Lourdes de Mesquita, Amadeu de Mesquita e Fernando de Mesquita (atualmente reside em Cuiabá). D. Anna Pereira Leite faleceu em 1942 deixando José de Mesquita viúvo por quatro anos. Após este período Mesquita casou-se com sua cunhada Laura Pereira Leite em junho de 1946. Deste enlace nasceu seu último filho, José Carlos de Mesquita, atualmente também residente em Cuiabá.
Mesquita foi sempre muito ligado à família, depois do falecimento de seu pai Mesquita (Sênior) ficou na companhia de suas três tias paternas, que na velhice viveram sob seus cuidados. Izabel Perpétua, Anna (tia Nhanhá) e Daria (tia Dada) sendo as duas últimas suas queridas companhias até morrerem solteiras e centenárias sob a proteção de seu adorável sobrinho.
Em 1907, concluiu seu curso de Ciências e Letras no Liceu Salesiano São Gonçalo. Tornou-se bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Universidade de São Paulo – USP, Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em 1913. Foi jurista, historiador, poeta parnasiano, jornalista, genealogista, cronista e ocupou a cadeira nº 7 da Academia Sul – Mato-grossense de Letras. Foi um dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, em 1919. Em 1921 fundou a Academia Mato-Grossense de Letras, da qual exerceu a função de Presidente, até seu falecimento em 1961.
Com sua dupla carreira, artística e jurídica, muito contribuiu para a formação do estado de Mato Grosso dedicando-se ao seu árduo trabalho artístico, social e político, ao lado de seu meio irmão Dom Aquino. Como jurista, foi Procurador Geral do Estado, Juiz de Direito da Comarca do Registro de Araguaia, Desembargador do Tribunal da Relação do Estado de Mato Grosso, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (antigo Tribunal da Relação), Secretário Geral do Território Federal do Guaporé, (atual Rondônia) e trabalhou como advogado com Dr. Estevão de Mendonça e Dr. Luis Philipe Pereira Leite.
Nas Letras, exerceu o cargo de professor de Português em 1914 na Escola Normal de Cuiabá. Foi professor de Direito Constitucional da antiga Faculdade de Direito de Cuiabá. Representou o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e o Estado de Mato Grosso, no 3º Congresso de História Nacional no Rio de Janeiro, em 1938. Em 1936, representou a Academia Mato-Grossense de Letras no 1º Congresso das Academias de Letras no Rio de Janeiro
Representou a Academia Mato-Grossense de Letras no 2º Congresso das Academias de Letras e de Intelectuais no Rio de Janeiro em 1939. Em 1940, representou o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso no 9º Congresso Brasileiro de Geografia, em Florianópolis. Foi condecorado pelo Papa Pio XI com a Comenda da Ordem de São Silvestre, pelos serviços prestados à Ação Católica, em 1933
Escreveu mais de 35 obras, na sua grande maioria em Cuiabá: Do Amor, Da Natureza, Do Sonho, Da Arte, 1919; Elogio ao Dr. Antônio Correia da Costa, 1921; Os Jesuítas em Mato Grosso, 1921; O Catolicismo e a Mulher, 1926; Elogio fúnebre do General Caetano Manoel de Faria e Albuquerque, 1926; Gente e Coisas d`Antalho e Crimes Célebres (ensaio sociológico), 1926; Terra de Berço (poesias), 1926; A Cavalhada (contos regionais), 1927; Um Paladino do Nacionalismo (elogio a José Vieira Couto de Magalhães), 1929;  Semeadoras do Futuro (discurso paraninfal, ás normalistas de Cuiabá), 1929; Da Epopeia Mato-grossense (poesia), 1930;  Corá (conto), 1930; O Taumaturgo do Sertão (biografia do Frei José Maria Macerata), Niterói, 1931; Grandeza e Decadência de Serra Acima (ensaio sociológico), 1931-1932; Atentado contra a Justiça (tese de direito), 1932.  Espelhos das Almas (contos), Premiado pela academia Brasileira de Letras – Rio de Janeiro, 1932; João Poupino Caldas (ensaio biográfico), 1934; Pela Boa Causa (Conferências), 1934; O Sentido da Literatura Mato-Grossense (conferência), Niterói, 1937; Piedade (romance), 1937; Relatório de Administração da Justiça de Mato Grosso, 1937; As Necrópoles Cuiabanas, 1937; Manoel Alves Ribeiro (ensaio biográfico), 1938; O Sentimento de Brasilidade na História de Mato Grosso (discurso de pose), Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, RJ, 1939; De Lívia a Dona Carmo – As Mulheres na obra de Machado de Assis (tese), 1939; Sorocabanos de Mato Grosso (ensaio genealógico), 1939; Professoras Novas para um Mundo Novo (discurso paraninfal na solenidade da colação de grau às Professoras, no Liceu Campo-grandense, Escola Joaquim Murtinho), Campo Grande, 1939; A Chapada Cuiabana (Ensaio de Geografia humana e econômica), 1940;  O Exército, fator de brasilidade (discurso), 1940; A Academia Mato-Grossense de Letras (notícia histórica), 1941; Nos Jardins de São João Bosco (discurso acerca da obra dos salesianos em Mato Grosso), 1941; Três Poemas da Saudade (poemas), 1943; Bibliografia Mato-Grossense em colaboração com o Prof. Firmo Rodrigues e Rubens de Mendonça, 1944; Escada de Jacó (sonetos), 1945; Roteiro da Felicidade (sonetos), 1946; No tempo da cadeirinha (contos regionais), 1946; Poemas do Guaporé (poemas), 1949.
Colaborou com os jornais Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro; e outros de Cuiabá: O Povo, O Mato Grosso, Correio do Estado, Democrata, O Estado de Mato Grosso, Correio Mato-Grossense e A Cruz. Exerceu atividades epistolares e culturais no exterior, como Membro Honorário do International Instituto of American Ideals, Los Angeles, USA; Comendador da Gran Prix Humanitaires de Bélgica, Bruxelas, Europa; Sócio Honorário do Instituto de la Cultura Americana, Argentina  e Membro correspondente do Confraternité Universelle Balzacience, Montevidéo, Uruguai.